Luisa_Neto_Jorge.jpg





Luiza Neto Jorge nasceu em Lisboa, a 10 de Maio de 1939 e faleceu a 23 de Fevereiro de 1989, com problemas respiratórios.
Em 1957 ingressou no curso de Filologia Românica da Faculdade de Letras de Lisboa. Onde foi fundadora do Grupo de Teatro de Letras.
Passado alguns anos desistiu do curso e foi viver para Paris, onde permaneceu durante oito anos. Casou com Manuel João Gomes, de quem teria o seu filho único, Dinis, nascido em 1973.
Luiza Neto Jorge esteve ligada ao chamado grupo da Poesia 61 que procurou, no início da década de 60, contribuir para renovar a linguagem poética, explorando novas potencialidades gramaticais. Ainda hoje é considerada a personalidade de maior destaque do grupo de poetas que se reuniu em torno do movimento Poesia 61, no âmbito do qual publicou “Quarta Dimensão”.
Não foi essa, todavia, a sua estreia literária. O primeiro livro foi “Noite Vertebrada” em 1960, a que iria seguir-se uma obra escassa mas de obrigatória referência.

Consciência feminina da escrita e invenção de uma poesia crua em que o corpo da linguagem se confunde com o corpo do sujeito poético são alguns traços a destacar na sua escrita. Além de poetisa, ela era tradutora e escrevia para teatro e cinema.
Fez adaptações de textos para teatro e colaborou com alguns cineastas, tendo escrito diálogos para filmes de Paulo Rocha...
Têm grande parte dos poemas traduzidos para diversos idiomas.



Glossário:Poesia61
1*A Poesia61 foi uma revista efémera editada, em Faro, por cinco poetas, na qual contribuíram com uma plaquette cada: Casimiro de Brito, com "Canto Adolescente"; Luiza Neto Jorge, com "Quarta Dimensão"; Gastão Cruz, com "A Morte Percutiva"; Fiama Hasse Pais Brandão, com "Morfismos"; e Maria Teresa Horta, com "Tatuagem". Esta publicação acabou por originar um movimento poético com o mesmo nome.




Bibliografia

Æ “A Noite Vertebrada”, em 1960 luizanetojorge.jpg
Æ “Quarta Dimensão”, em 1961
Æ “Terra Imóvel”, em 1964
Æ “O Seu a Seu Tempo”, em 1966
Æ “Dezanove Recantos”, em 1969
Æ “O Ciclópico Acto”, em 1972
Æ “Os Sítios Sitiados”, em 1973
Æ “11 Poemas”, em 1984
Æ “A Lume”, em 1989
Æ “Poesia”, em 1993




Poemas:
· I e II
· A cabeça em ambulância
· A Casa do Mundo
· A Divisibilidade: a Invisibilidade a Dois
· Algo se me assemelha
· A magnólia
· Anos Quarenta, os Meus
· A porta aporta
· A quem se interesse
· As sofridas amoras
· Desvios
· Difícil Poema de Amor
· Do Medo I
· E do Espanto
· Encantatória
· Minibiografia
· O corpo insurrecto
· O Poema
· O poema ensina a cair
· O Sítio em Vista
· Quarta Dimensão
· Quebrou-se a cadeia do sangue
· Recanto 2
· Recanto 12
· Seu ventre abarca
· SO-NETO JORGE, Luiza



Minibiografia

Não me quero com o tempo nem com a moda
Olho como um deus para tudo de alto135.jpg
Mas zás! do motor corpo o mau ressalto
Me faz a todo o passo errar a coda.

Porque envelheço, adoeço, esqueço
Quanto a vida é gesto e amor é;
Diferente me concebo e só do avesso
O formato mulher se me acomoda

E se nave vier do fundo espaço
Cedo raptar-me, assassinar-me, cedo:
Logo me leve, subirei sem medo
À cena do mais árduo e do mais escasso.

Um poema deixo, ao retardador:
Meia palavra a bom entendedor.




Opiniao:
Gostei imenso de fazer este trabalho, apesar de não gostar muito dos poemas da minha autora Luiza Neto Jorge.
Acredito que ela tenha uns bons poemas e que sejam reconhecidos\ identificados por várias pessoas e que os interpretem de maneiras diferentes, mas eu simplesmente não gostei porque talvez não tenha entendido a mensagem de cada um (poema).






Trabalho realizado por Inês Marques, nº22, 10ºD