Fiama Hasse Pais Brandão nasceu em Lisboa a 15 de Agosto de 1938 e faleceu a 19 de Janeiro de 2007 em Lisboa.
Foi uma escritora, poetisa, dramaturga, ensaista e tradutora portuguesa.
A sua infância foi passada entre uma quinta em Carcavelos e o St. Julian's School. Foi estudante de Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo sido um dos fundadores do Grupo de Teatro de Letras. Foi casada com Gastão Cruz.


Estreou-se como autora com Em Cada Pedra Um Voo Imóvel em 1957, obra que lhe valeu o Prémio Adolfo Casais Monteiro. Ganha notoriedade no meio literário com a revista/movimento Poesia 61, em que publica o texto «Morfismos». É considerada como uma das mais importantes escritoras do movimento que revolucionou a poesia nos anos 60
.
Foi premiada em 1996 com o Grande Prémio de Poesia da Associação Escritores Portugueses.

Traduziu obras de lingua alemã, de lingua inglesa e de lingua francesa, de John Updike,Bertold Brecht , Antonin Artaud, Novalis e Anton Tchekov, entre outros.

Poesia

Morfismos (1961)
Barcas Novas (1967)
Novas visões do passado (1975)
Homenagem à literatura (1976)
F de Fiama (1986)
Três Rostos (1989)
Movimento Perpétuo (1992)
Epístolas e Memorandos (1996)
Cenas Vivas (2000)
As Fábulas (2002)


Teatro

Os Chapéus de Chuva (1961)
A Campanha (1965)
Quem Move as Árvores (1979)
Teatro-Teatro (1990)


Prosa

Em Cada Pedra Um Voo Imóvel (1958)
Movimento Perpétuo (1991)
Sob o Olhar de Medeia (1998)


Ensaio

O Labirinto Camoniano e Outros Labirintos (1985)




Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Português por Bruno Dias 10ºD Nº19